domingo, 12 de setembro de 2010

New York...A minha visão!

Ainda me parece um pouco irreal, e sobretudo quando vejo séries ou filmes com locais por onde andei a passear. Confesso que não era um destino prioritário, mas desejável. Após reunidas as condições lá fomos com destino a New York. Depois de lá ter passado 8 dias de férias, poderei começar por dizer que é a cidade das Cidades. Senti-me pequena pela dimensão dos prédios, ofuscada pelos Neons, perdida no meio de tantas Streets e Avenues, mas completamente rendida àquela cidade. Com alguns dólares fez-me sentir poderosa, é uma cidade que aumenta a nossa auto-estima, mexe com o nosso ego e permite-nos reflexões existenciais aquando o nosso regresso. Devido a ter um excelente casal de anfitriões e amigos a residir em Newark, o alojamento, não foi de 5 estrelas, mas de 10. Afinal tínhamos sitio para dormir, dicas úteis que não constam nos guias, mas sobretudo possibilitaram sentir-nos que numa cidade grandiosa, tínhamos laços afectivos e não estávamos sozinhas. O que sem dúvida merece as outras 5 estrelas. A reacção expontânea é andar de cabeça erguida a tentar ver o fim dos prédios, dos arranha céus, mais propriamente. Neste momento é talvez a cidade mais segura que conheci nos últimos tempos, neste aspecto, roça quase a paranóia...adiante temos policias em quase todas as equinas, seguranças que ajudam quem na cidade se perde, como foi o nosso caso, numa noite em que já tínhamos feito, kms e kms a pé. Faz parte! É interessante porque quando começamos a andar e a visitar a cidade tudo nos parece um pouco familiar, tipo dejá vu, mas a sensação e os sítios são os dos filmes e das séries tão nossas conhecidas. Percorremos a pé grande parte da cidade, não há outra forma de conhecer, mas esta é mesmo grande e pela primeira vez numa viagem, os pés, ao final do dia, estavam negros (poluição), com bolhas e calos. Vi alguns turistas a andar descalços. Existem os pontos altos de onde temos panorâmicas da cidade, temos os pontos turísticos (Estátua; Ponte de Brooklyn, Central Park; Museus, entre muitos outros) e depois tivemos a possibilidade de percorrer, comer e ver zonas menos turísticas, Staten Island, Hoboken, Chinatow, Soho, e a casa da Carrie. Como alguns sabem, falei comigo sobre Sex and City para virar adolescente e no dia em que fomos até à casa onde a Carrie vivia na série, transformei-me. De seguida comemos no Park o cupcake, seguido de uma sangria e conversa entre amigos, e foi o manjar dos manjares. Dia que sem dúvida perdurará na minha memória.
Claro que fizemos algumas compras, mas para mim, não foi a prioridade, e ao contrário do que se possa pensar, alguns dólares na carteira, conseguimos passar uns excelentes dias em New York, o sonho americano é possível J as pessoas são extremamente simpáticas, entramos na loja do chinês ou na Prada e somos atendidos com a mesma simpatia e sem olhares de alto a baixo (eu com as minhas havainas nos pés), não interessa qual a nossa cor, religião, estatuto social, orientação sexual, a diferença vive com respeito e harmonia. Num determinado dia em Times Square, por onde andavam bastantes pessoas, apeteceu-me perguntar, mas afinal quem é daqui? É uma cidade em que parece que todos estão em trânsito... e que ninguém ali pertence, ou talvez a outra perspectiva é uma cidade para todos e de todos.
Durante algumas paragens para fumar um cigarro, poderia ter feito negócio, com frequência nos abordaram para vendermos cigarros, o tabaco é caro e pelos vistos, há quem compre avulso, claro que aproveitámos para fazer o nosso marketing, não vendíamos, dávamos e ainda para mais Ventil, cigarro português J quando entrava a cultura geral onde é Portugal, as respostas foram hilariantes, mas adiante, destaco o à vontade com que as pessoas metem conversa umas com as outras, sem qualquer receio e malícia, são um povo sociável e daí também vencedor.
No último dia, decidimos, gastar dólares, fomos beber os famosos cosmos, andar de coche por central park, atravessamos de carro Times Square e toda a avenida até ao sul ao som de Alicia Keys “New york”, parece cliché...mas e como me tornei fã de New York, vão até lá, e experimentem, vivam e sintam as emoções que aquela cidade vos transmite e depois falamos. Claro está e não podia deixar de terminar por dizer, se esta viagem, esta cidade for conhecida entre e com amigos, o cenário será perfeito. Foi o meu caso e estou feliz pela vida me ter dado mais esta oportunidade.
CF

http://www.youtube.com/watch?v=0UjsXo9l6I8

Um comentário:

xuxidiva disse...

obrigada por terem ca estado...
You've got the Love